quinta-feira, 15 de novembro de 2007

Os líderes religiosos devem ter profissão?

Os líderes religiosos devem ter profissão?


Qual o dever de um líder religioso? A princípio ele deve ser um defensor da tradição, que atue com coerência, ajude indivíduos que necessitem de palavras de incentivo, conselhos. Não agir em benefício próprio, enquanto estiver atuando como tal, sabendo como guiar seus fiéis.

Mas esse líder deve ter suas necessidades pagas pela comunidade? Ou ele deve ter uma profissão e tirar seu sustenta do seu próprio trabalho?

Esse tema é abordado desde os tempos de Jesus e do primeiros séculos da Era comum.



Judaísmo

No judaísmo da época de Jesus, tinham correntes diferentes. Os saduceus detinham mordomias, viviam no conforto. Já os fariseus não ostentavam de tais mordomias. Pelo contrário, deveriam ter uma profissão para seu sustento (um trabalho humilde) e ensinavam sem cobrar a Lei de Moisés. Jesus, como um fariseu, ensinava a seus discipulos e tinha o ofício de carpinteiro. Isso é mais uma prova de que Jesus era da seita dos fariseus.

No Talmud, maior parte dos rabbis eram a favor de que o rabino tenha uma profissão e que não receba nada, nenhum benefício material para ensinar a Torah. Ele tem que adquirir seu próprio sustento. Mas existem relatos de opinião contrária.

Maimônides era radicalmente contrário aos que viviam da doação dos fiéis. Em sua época tinha os exilarcas de Bagdá, que seriam os descendentes de David e seriam os responsáveis pelo zelo da Torah, e viviam em mordomias e luxos. Ou seja, abusos! Uma coisa é receber o fundamental para viver, outra são as coisas superfluas. Maimônides, em alguns escritos, condenou com todo o vigor os rabinos e funcionários religiosos que viviam às custas do dinheiro dos fiéis. Nesse aspecto, seu combate foi inútil, como é possível constatar ainda hoje, por toda a parte.
Maimônides era rabino e juíz, e não aceitava nenhuma remuneração por parte da sociedade. Pois queria manter sua liberdade de julgamento. Para adquirir seu sustenta, exercia a medicina, na corte do sultão, o que lhe exigia grande energia.

Como vimos, até os tempos atuais, grande parte rejeita a idéia de que o rabino deva trabalhar. Então são "ortodoxos" por uma questão de conveniência.



Cristianismo

O Igreja Católica, e também as Igrejas protestantes ,não ficam muito longe disso. E, em alguns casos, são até piores. Os padres fazem voto de pobreza, castidade. Mas vivem em santuários suntuosos, de grande luxo.

Durante séculos a Igreja adquiriu muitas posses (terrenos e dinheiro) com a ajuda dos monarcas europeus. Para que tanto luxo? Os sarcedotes e crentes alegam que "devemos honrar nosso D'us, o Senhor do Universo. Devemos honrá-lo, Ele deve receber todas as homenagens."

Mas aí questionamos: "D'us não criou tudo? Ele criou o ouro , a prata, mas também criou os elementos menos preciosos como o ferro, o cobre, a madeira." D'us não precisa que ofereçamos a Ele templos luxuosos, com grandes obras de arte. Ele é dono de tudo!
E os crentes contra-argumentarão: "Mas nesse templo (igreja) estamos na presença de D'us!" Presença de D'us? Mas D'us não é limitado! Ele abarca todo o Universo. Ele não está num canto ou em outro. Ele está em todos os lugares. E ainda mais: D'us é a morada do Universo. Nada pode limitá-lo.

Então, para que tais luxos? Claro que por conveniência. Alegam ao povo que é para honrar a D'us, adquirem posses através de doações, ofertas de fiéis, dízimos. Em alguns lugares, a Igreja recebe um pequeno percentual (4%, chamado laudêmio) de todas as transações imobiliárias pois ela (a igreja) era a proprietária de tais áreas, na época da colonização. No Brasil, instituições religiosas são isentas de impostos, como IPTU.



Para refletir

As pessoas tem que abrir os olhos e reavaliar certas questões. Muita gente vive bem a custa da boa fé (e da ignorância) de muita gente.

Todo cidadão deve ter uma profissão para seu próprio sustento, exceto nos casos de limitações físicas ou mentais.

Um comentário:

Música e Poesia na Pré-Escola disse...

Parabéns você é um cidadão crítico com opiniões firmes e bem consistentes.
Amei o texto"Os líderes religiosos devem ter profissão?",foi sensacional ler esse artigo.
Se você tiver um tempinho gostaria imensamente de ler uma opinião sua sobre LEONARDO BOFF.
Agradeço desde já se puder me atender.
Prof° Edmar