sexta-feira, 21 de setembro de 2007

Temos livre arbítrio?

Temos livre arbítrio?



As pessoas tem realmente livre-arbítrio? Essa pergunta não é tão fácil de ser respondida. Para muitas pessoas é muita simples. Vamos ver assunto por alguns ângulos.








Bíblia








Na Bíblia existem muitas passagens que nos levam a concluir que não existe o livre arbítrio, vejamos algumas:



“Há muitos planos do coração do homem mas é a vontade do Senhor que se realiza.” (Provérbios 19, 21)



“Desde o princípio eu predisse o futuro, anuncio antecipadamente o que ainda não se cumpriu. Meu plano realizar-se-á. Executarei todas as minhas vontades.” (Isaías 49,10)



“Fostes vós que plasmastes as entranhas do meu corpo. Vós me tecestes no seio de minha mãe. (...) Quando fui tecido nas entranhas subterrâneas. Cada uma de minhas ações vossos olhos viram.E todos foram escritas em vosso livroCada dia de minha vida foi prefixado, desde antes que um só deles existisse.” (Salmo 138)



Pois bem, pelo que vimos Davi diz que “cada dia de minha vida foi prefixado” e que D'us disse “executarei todas as minhas vontades”. Podemos ter qualquer vontade mas é a vontade do Senhor é que vai ser realizada. Então não temos escolha? Então cada ação, cada pensamento e cada desejo que temos já estava escrito? Isso parece perturbardor e triste. O Universo programado com tudo cronometrado para acontecer, temos hora pra nascer e hora marcada para morrer. Termos sucesso ou fracasso. Termos filhos ou não, como diz em Gênesis: “O Senhor visitou Sarah, como Ele tinha dito, e cumpriu em seu favor o que havia prometido. Sarah concebeu, e apesar de sua velhice, deu à luz um filho à Abraham, no tempo fixado por D'us.” Yeshua disse à seus discípulos: “Ao orar, não faças o mesmo que os pagãos. Que suas palavras sejam pouco numerosas.(...) antes de pedir D'us já sabe tudo o que você precisa.”



No Talmud tem uma passagem que diz: “Tudo está escrito, mas a liberdade de ação foi concedida.” (Rabbi Akiva, Mishnah Avot 3:15). Parece um paradoxo. Como pode “tudo estar escrito” e “ a liberdade de ação é concedida” ? Mas tem como explicar sim. É que quando Rabbi Akiva diz “tudo está escrito” quer dizer que todas as possibilidades de futuro já estão escritas e que qualquer escolha que façamos, terá como consequência um dos possíveis futuros criados por D'us. Mas com isso também estamos limitados e não podemos ter um futuro além daqueles que possíveis e “dados” por D'us para realizarmos.














Física:


Determinismo X Mecânica Quântica



Laplace, que viveu no século XIV, dizia que se tivermos um mecanismo de saber todas as forças que atuam sobre uma partícula e soubessemos sua posição e velocidade, teriamos como saber exatamente como foi o passado e como será o futuro dessa partícula. Isso mecanismo foi chamado de "Demônio de Laplace". Essa idéia de Laplace é o determinismo. Mas existe alguns problemas nessa idéia de Laplace. Primeiramente NÃO TEMOS COMO SABER EXATAMENTE a posição e a velocidade de qualquer corpo, sempre existirá uma incerteza, por mais aprimorado que seja. Sempre teremos um erro associado. Os instrumentos de medida tem sempre se aprimorado, mas nenhum terá uma margem de erro zero.No início do século XX, ocorreu o advento da Mecânica Quântica. Com ela há uma revolução no pensamento científico. Na mecânica quântica deixa-se de usar como padrão de medida a posição e a velocidade da partícula mas a probabilidade em função da energia e do momentum desta. Com Heisenberg, ocorreu a sistematização do seu Princípio da Incerteza, que coloca uma limitação no grau de incerteza nas medições. Isso ocorre porque, com a física quântica, o observador ao ver o experimento, ele o pertuba, ou seja, o observador interfere na observação. Então colocou-se um limite na observação, selando assim a possibilidade de sabermos exatamente, sem erros, as partículas observadas.Mas aí vem a questão: A sempre existência de uma incerteza associada a um experimento é devido a limitação humana de construirmos instrumentos mas aprimorados ou essa incerteza é algo inerente à Natureza?Einstein rejeitava a idéia de um mundo em que as coisas que ocorriam na Natureza ocorriam sem uma razão suficiente, e que a idéia de um mundo onde as coisas não tem uma razão suficiente para acontecerem, caberia a idéia de ocultismo. Para rejeitar essa idéia Einstein disse: "Deus não joga dados com o Universo."Então, para Einstein tem uma razão suficiente para acontecer e, com isso, não cabe o livre arbítrio pois, se tudo ocorre devido a outras e que delas dependem,então inclusive nossas vontades, escolhas, gostos, estão condicionadas por razões suficientes, não ao acaso, como fatores determinantes estão os genéticos, ambientais.



Vejamos: você tem liberdade de quando, onde vai nascer? Você escolhe quem vai ser seu pai e sua mãe? Acho que não.E você sabe também que até criemos consciência de algumas coisas, nós somos influenciados pelos ensinamentos que nos dão, de acordo com o ambiente e a época.E pelo fato de não escolhermos nossos pais, temos a influência na heredietariedade genética, ou seja, o fator genético nos tende a comportamentos acima do que a gente escolheu.Então, como podemos ter um liberdade de escolha, se as nossas escolhas, nossa maneira de pensar foi moldado pelo ambiente até que possamos fazer escolhas? Tudo que o ocorre na Natureza tem motivos suficientes para ocorrerem, dependendo de causas anteriores.

Por esses motivos é que não acredito que tenhamos livre-arbítrio.

2 comentários:

luisao disse...

sim temos o livre arbitrio mas so que o ser-humamo nao usa ele direito

J. Carlos disse...

Temos o arbítrio, todavia ele não é livre. A vontade humana é escrava do engano, e, quando é liberta, torna-se escrava do libertador.