sábado, 29 de dezembro de 2007

Pseudocientistas, esoterismo e mecânica quântica

Pseudociências, esoterismo e mecânica quântica




Nas últimas décadas, teve uma explosão de livros e filmes de auto-ajuda e esotéricos que dizem que a mecânica quântica está em concordância com suas teorias pseudo-científicas e autores desses se proclamam cientistas. Será que de fato são? Os que eles dizem tem aparato científico?



Ciência

Na ciência há a ligação entre teoria e experimentação, mas não necessariamente nesta ordem.
O cientista desenvolve uma teoria a partir de conhecimentos a priori, com matemática e lógica consistentes e essa teoria tem que passar uma verificação, ou seja, cria-se experimentos para a verificar a validade dessa teoria e, se válida, até que condições ela é válida. Não basta ter uma teoria bonita, elegante, matemáticamente falando: se não o experimentação não a confirmar, não adianta de nada.

E ocorre a observação de um fenômeno e que, a partir deste, desenvolve-se as equações e teorias para explicá-los, como foram os casos de Ticho Brahe, que observou as órbitas planetárias e Kepler construiu a teoria em cima desses dados. O mesmo ocorreu com Faradey que observou os fenômenos eletromagnéticos e Ampère desenvolveu todas as equações referentes aos dados.

Na ciência, as platônicas e aristotélicas tem que andar de mãos dadas, pois para Platão, o verdadeiro conhecimento que obtemos das coisas é pela idéia e para Aristóteles pela observação da Natureza.
Ciência = teoria + observação
Mecânica Quântica
A mecânica quântica surgiu no final do século XIX, início do XX. Ela, juntamente com a teoria da relatividade de Einstein, mudaram radicalmente o pensamento científico até então predominante, que era o newtoniano.
A física de Newton não conseguia explicar fenômenos que ocorriam na escala de nível atômico. Conceitos que lidamos no quotidiano como posição e velocidade não são adequados para explicar no universo do “muito pequeno”. No mundo sub-atômico, as partículas tem um comportamento “estranho” : elas parecem se comportar como ondas e ondas (como a luz), quando interagem, se comportam como partículas. É difícil fazer qualquer paralelo com o que conhecemos.
Na mecânica quântica, como havia dito, não é possível usar variáveis utilizadas na física newtoniano (velocidade e posição) e é necessário a abordagem probabilística. Esse caráter probabilístico da mecânica quântica que Einstein não aceitava e mostrar seu desacordo com ela disse: “Deus não joga dados com o Universo.”
E ocorreu mais uma mudança radical comparada com as demais teorias físicas até então existentes: o observador pertuba a observação. Para qualquer observação, é preciso iluminar. Pensemos no seguinte experimento mental: “Apliquemos a menos luminescência possível, que é um fóton (quantum de luz) para observar um elétron. Nessa escala, a luz interage com o elétron e muda o estado deste. O fato de observar altera o estado das partículas sub-atômicas.”
A partir desse experimento mental de Heisenberg desenvolveu seu princípio de incerteza, o qual diz, em poucas palavras, que “ não podemos saber precisamente a posição e a velocidade de uma partícula, simultâneamente. Quanto mais precisamente sabemos sua posição menos saberemos sua velocidade e vice-versa.”
A escola de Copenhagen, composta por Bohr, Heisenberg, entre outros, tinha a visão de que no mundo atômico não se pode prever precisamente o desenrolar dos estados futuros, mas apenas estatisticamente. E ainda mais: que o princípio de incerteza não vinha do fato da limitação humana, e sim que era algo inerente a Natureza. Ou seja, as coisas não acontecem com uma causa suficiente! E isso que pertubava Einstein, que disse: “Mecânica Quântica é a mistura de matemática com magia negra.”
Misticismo e esoterismo
Misticismo está relacionado com coisas misteriosas, ocultas. E o que tenho reparado que os místicos vem se apropriando da mecânica quântica para dar “respaldo” a suas crenças. E por que isso ocorre? Como disse acima, a visão da Escola de Copenhagen nos trouxe foi de uma incerteza inerente aos acontecimentos de ordem subatômica e, com este, abre uma brecha para o misticismo entrar. E com a ausência de “causas suficientes para algo ocorrerem”, tentam justificar a existência do livre-arbítrio e entre outras coisas que já iremos falar.
Esses místicos falam da Mecânica Quântica como se fossem profundos conhecedores desta. E isso mostra que eles não sabem é NADA! Como falor Richard Feymann, ganhador do prêmio de Física: “Quem diz entender a mecânica quântica quer dizer que não a entende.”
As “teorias” desenvolvidas são tão mirabolantes que vou citar apenas algumas.
Pelo fato da mecânica quântica mostrar que o observador interfere no estado do observado, eles (os místicos) dizem que quando olhamos ou pensamos em algo, isto interfere no mundo macroscópico. E que a realidade é construída por nossas consciências, que estão ligadas a todo universo.
Num famoso livro (Quem somos nós), que é baseado no filme de mesmo nome, mostra um suposto experimento no qual se pensarmos em “amor”, as moléculas de águas irão se agrupar em formas de cristais, apenas por causa das “ondas de pensamento”. E no mesmo livro é mencionado outro “experimento” no qual pessoas ficam meditando para alterar o pH de uma sustância, apenas pela “força do pensamento.”
Onde estão as provas científicas?
Os tais “experimentos” citados no livros são fantásticos, não são? Fiquei fascinado, mas pouco convencido. Sendo estes experimentos fantásticos, devem ter sido publicados em grandes periódicos científicos? Não foram! Para uma teoria ser validada, ela tem que ser testadas e observada por outros cientistas, dadas as condições previstas pela teoria. Tanto o experimento com as formas de cristais nas moléculas de água como da alteração do pH de uma substância não foram reproduzidos. E se não conseguem ser reproduzidos, isto quer dizer que não vão aparecer numa Scientific American, nem Science, nem Nature e em nenhum outro periódico científico confiável.
Quando esses misticos dizem que tudo o que pensarmos, acreditando de verdade, vai acontecer. Será mesmo? Por exemplo: na final da Copa do Mundo de 1950, tinha mais de 200.000 brasileiros no Maracanã contra o Uruguai. O que aconteceu? O Uruguai ganhou. E a força do pensamento das 200.000 pessoas? Eu garanto que todos queriam, de todo o coração, que o Brasil ganhasse.
Pensamento leva a ação
Mas o pensamento tem alguma interação com o mundo? Claro que tem! Mas não na forma que esses “profetas” falam. Não é apenas o fato de ficar pensando que algo vai acontecer. Quando pensamos em algo, com muita determinação, isto vai se sedimentando em nosso subconsciente para nos levar a ação! Sim, as coisas que queremos só vão acontecer se agirmos para alcançá-la. Se pensarmos em ter um carro, uma casa, uma televisão mais moderna, esse pensamento vai nos estimulando para sair da inércia e buscar aquilo que queremos e precisamos. A motivação está aí. Temos que estar motivados a agir!

9 comentários:

Valdir Callegari disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Valdir Callegari disse...

Achei seus comentários interessantes em certos pontos em outros faltam observar pesquisas.No caso de afirmar que as experiências não puderam ser repetidas há um engano, Essas experiências foram repetidas várias vezes não só com os cristais de água congelada,mas tb com arroz cozido.Isso é feito até por crianças em escolas do Japão.Existem vídeos dessas experiências no you tube.seguem links: http://br.youtube.com/watch?v=Kx56R9GNFlA

http://br.youtube.com/watch?v=rbsqb_wv2rI&feature=related

http://br.youtube.com/watch?v=Veewzfq2f3U&feature=related

Valdir Callegari disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Valdir Callegari disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Valdir Callegari disse...

Acredito que quando trabalhamos com a força da energia mental,nada é instantâneo como um passe de mágica.Enviar um código mental afirmativo ou negativo as forças universais leva tempo para seu retorno.No caso a quantidade de pessoas em um campo de futebol desejando que seu time seja vencedor será irrelevante,uma única pessoa conseguiria o mesmo resultado.Nunca houve caso de relatos a curto prazo, mas de trabalho,empenho mental e físico direcionados a um propósito.Não acredito em passe de mágica,mas tb creio que o era chamado de absurdo ou magica ou crendices há alguns anos hoje é ciência.Assim como a discutida ciência quântica que caminha crescendo dia a dia nos mostrará novos caminhos e linhas de lógica e raciocínio ainda entre névoas

Valdir Callegari disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Valdir Callegari disse...

Um outro exemplo quando Isaac Newton, físico e matemático, embora tenha sido também astrônomo, alquimista, filósofo natural e teólogo.Ao demonstrar a consistência que havia entre o sistema por si idealizado e as leis de Kepler do movimento dos planetas, foi o primeiro a demonstrar que o movimento de objetos, tanto na Terra como em outros corpos celestes, são governados pelo mesmo conjunto de leis naturais.O poder unificador e profético de suas leis era centrado na revolução científica, no avanço do heliocentrismo e na difundida noção de que a investigação "racional" pode revelar o funcionamento mais intrínseco da natureza.Thomas Alva Edison,quando imaginou dominar a luz,tb deve ter usado essa nova lei que se discute a "lei da atração",imaginando dominar a luz sua mente foi capaz de conceber da imaginação imaterial ao real. Materializou fisicamente o que era apenas um pensamento. Quantas coisas,(Praticamente tudo) se tem origem em um simples pensamento se torna em algo real,material e palpável?Voar, falar com outra pessoa a incríveis distancia,ver imagens em telas de plasma ou Lcd, eram coisas de ficção cientifica há poucos anos.Porém alguém imaginou lançou o código ao universo mentalizando seus desejos e as mentes trabalharam para materializar o "imaterial".Procuro estar aberto a busca de entendimento de tantas leis, tanto físicas quanto quânticas que nos possibilitem entender um pouco mais dos mistérios da mente humana e do universo.

Ishani D.D. disse...

Compactuo integramlente com o Sr. Valdir Callegari. Acredito que o Universo nos responde, cedo ou tarde, realizando de alguma forma nossos desejos e ideais se esses pensamentos forem baseados na firmeza de vontade e sem nenhum tipo de medo ou dúvida. A força da mente, dessa forma, impulsiona uma energia tão intensa que se coonsegue realizar o que parecia ser impossível.

Muni Perez disse...

Caramba, vocês dois só podem ter sérios problemas mentais.