sexta-feira, 12 de outubro de 2007

Código da Bíblia.

Código da Bíblia




Tradição

A tradição hebraica diz que, quando Moisés (Moshe) foi ao Monte Sinai recebeu a Torah, D'us a ditou, letra por letra.

E, no passar das gerações, a Torah para ser copiada, as pessoas responsáveis por este trabalho teriam antes que fazer uma preparação, pois para cada cópia da Torah, não deve ser omitida nem acrescentada. Pois, caso isso ocorresse, todo o mundo seria destruído, devido que, antes de D'us criar o mundo, ele criou a Torah.

De fato esse trabalho sagrado tem sido feito ao longo dos séculos. Analizando-se a Torah de tempos bem antigos comparados aos contemporâneos é visto esse cuidado de manter as mesmas letras.

Para os outros livros do cânone hebraico não há este rigor. O cânone judaico é chamado "Tanach", que é o Antigo Testamento da Bíblia cristã. Já o Novo Testamento não existe essa tradição e além disto este foi escrito originalmente em grego (apesar que tem historiadores que dizem que o evangelho de Marcos foi originalmente escrito em aramáico).

No prefácio a sua grande obra, o Comentário à Torah, Nachmânides, o Ramban,nos diz:"Nós possuímos uma tradição autêntica mostrando que a Torah inteira consiste nos nomes de D'us, e que as palavras que lemos podem ser divididas de maneiras bem diferentes, de modo a formar nomes esotéricos. A afirmação, na Agadá, no sentido de que a Torah foi originalmente escrita em fogo preto sobre fogo branco, obviamente confirma nossa opinião de que a escritura foi contínua, sem divisão em palavras, o que tornou possível lê-la ou como uma sequência de nomes Divinos, ou de forma tradicional como história e mandamentos. Assim, a Torah dada a Moisés foi dividida em palavras de forma tal a ser lida como mandamentos divinos. Mas, ao mesmo tempo, recebeu ele a tradição oral, de acordo com a qual era mister lê-la como uma sequência de nomes."Em face da estrutura esotérica da Torah, diz Nachmânides, a tradição massotérica a respeito da escritura da Bíblia, e especialmente dos rolos da Torah, deve ser preservada como o máximo cuidado. Deve ser rejeitado para o uso na sinagoga um rolo da Torah onde falte o haja a mais uma única letra sequer.

Vilna Gaon (o sábio de Vilna) diz que todos os detalhes da História estão contidos na Torah.

Tem uma história que diz que, certo dia, Nachmânides ensinava o “Cântico de Moisés”, encontrado no Deutorônomio 32, e fez a surpreendente afirmação de que toda a história de Israel podia ser encontrada naquelas passagens. Um jovem estudioso, genial porém arrogante, chamado Rabino Abner, o desafiou, mas o Ramban recusou-se a retirar ou mesmo temperar sua extravagante afirmativa. O Rabino Abner retrucou: “ A menos que possas me provar tua afirmação de que toda a história de Israel está no 'Cântico de Moisés', nunca mais ouvirei qualquer coisa que tenhas a dizer. Além disso, rejeitarei a Torah como absurda e, com ela, todo o judaísmo. Para provar minha seriedade, matarei um porco e o comerei no Dia do Perdão, Yom Kipur.”-Ainda sustento que toda a história está indicada no “Cântico de Moisés”. Põe-me à prova, se quiseres – respondeu o Ramban.-Muito bem, onde naquela passagem se fala do meu destino?O Ramban voltou o rosto para a parede e rezou em silêncio por um momento. Depois virou-se e encarou Abner.-Abre no Deuterônomiocapítulo 32 , versículo 26, e vê a terceira letra de cada palavra. Ali encontrarás a resposta.Confiante, Abner pegou a Torah e seguiu as instruções do Ramban. Mas um arrepio percorreu-lhe a alma quando leu as palavras da profecia: “Já teria dito: vou examiná-los de todo, vou riscar a sua memória dentre os homens.” Pois descobriu que seu nome estava codificado na terceira letra (consoante) das palavras amaRti afAyhem ashBytah mayeNosh zikRam: “R. Abner” (Transliterado do hebraico, seu nome se escreve como “R.ABNR” .Sua arrogância desmoronou e ele gritou:-Não há cura para o meu estado?-Por fim compreendeste! Disse o Ramban.Numa versão da lenda, Abner tornou-se um devotado discípulo do Ramban e diligente estudioso da Torah; noutra, lançou-se ao mar sem remo ou remador e nunca mais foi visto.



Criptografia

Criptografia vem do grego (kriptos= escondido; grafia=escrita) . Podemos dizer "escrita oculta". Ou seja passar uma informação a alguém sem que outras pessoas possam lê-la. A criptografia existe desde a época do Império Romano, quando se havia uma troca simples de letras. Leon Battista Alberti (1404-1472) é considerado o pai da criptologia. Alberti criou o chamado "disco cifrador" Um disco dentro do outro, no qual conforme vai se girando vai se tendo um determinado tipo de troca de letras. Esse mecanismo foi se aperfeiçoando ao longo dos tempos.


Foto: disco de Alberti




A Kabalah fala de um processo semelhante, que é chamado Atbash, no qual troca-se a primeira letra do alfabeto pela última, a segunda pela penúltima e assim por diante...
A criptografia tem uma grande importância nos dias de hoje, e são de uso decisivo para uma guerra, como foi na Segunda Grande Guerra.

E uma maneira de se codificar um texto é pelo "salto de letras" (saltos equidistantes de letras dentro um texto de tal forma que palavras correlatas estão numa região próxima de um texto.

E é através deste que vamos tentar explicar, da forma mais suscinta possível, como funciona o Código da Bíblia.



O "Código da Bíblia"

Como tinhamos dito anteriormente, Vilna Gaon disse todos os detalhes da História estão contidos na Torah. E vimos também que Nachmânides mostrou o nome de um discípulo dentro do Cântico de Moisés. Seria isto apenas uma coinscidência?

Rabino Weissmendel, que viveu no início do século XX, na antiga Tchecoslováquia, e que perdeu sua família na Segunda Guerra devido a perseguição nazista, trabalhou em cima desses ensinamentos e buscou achar a fatos atuais, ou já acontecidos, numa época muito posterior a época em que D'us ditou a Torah à Moisés (cerca de 3200 anos). Até que conseguiu sucesso, mas era um trabalho muito difícil e não contava com uma grande ferramenta: o computador.

Algum tempo depois, já na época do computador, cientistas começaram a se dedicarem a esse estudo. Entre os que mais de destacaram foram Eliyahu Rips, matemático, que trabalha na área de Teoria de Grupos e que, antes de ter contato com os códigos, era ateu e se tornou ortodoxo, Doron Witztum, judeu ultra-ortodoxo, que é formado em física e se especializou na área da relatividade geral. Estes, juntamente com Yoav Rosemberg, fizeram um trabalho rigorose e sistemático dos códigos


Foto: Eliyahu Rips


O código da biblia é baseado no salto equidistante de letras é formada uma palavra e que, para coisas relacionadas a ela estejam próximas. Muitos podem argumentar que num texto de mais de 300.000 letras, pode-se encontrar o que quiser. Mas a questão é: que estudos foram feitos em outros textos com texto de tamanho próximo e estes padrões não são encontrados.

E tem um detalhe importante: os códigos são válidos apenas no original em hebraico, ou seja, a Torah ditada por D'us a Moisés, cujo o texto parece estar intacto há séculos. As traduções para outras línguas não obedecem a antiga tradição, ou seja, não foi ditada diretamente por D'us. Devido a isso, não vale para o Novo Testamento.

Rips, Witztum e Rosemberg fizeram um experimento com uma lista de sábios, com suas respectivas datas de nascimento (ou morte) e posteriormente com as cidades de nascimento (ou morte). E obtiveram resultados extremamente bons que passou até pelo teste de um grande criptologista do Pentágono, e que aceitou a publicação do artigo num periódico de grande respeitabilidade acadêmica, a Statistical Science.


"Ataque" "torres" "avião". Palavras correlatas com o evento do ataque terrorista às torres Gêmeas, em Nova York.



O código da bíblia serve para prever o futuro?

Com tudo que foi exposto até aqui, parece caber a seguinte questionamento: " Se tudo está escrito na Torah e que eventos atuais e de um passado recente foram encontrados pelos códigos,
então temos como usá-los para prever os acontecimentos futuros?"

Muito bem, na minha opinião, acho que não. Pelo simples fato que, quando se faz uma busca de um acontecimento, de uma pessoa, nós já sabemos o que procurar e daí constatamos a interligação de fatos, pessoas, lugares e datas codificados no texto. Por exemplo: O assassinato de John Kennedy. Relacionado a seu nome encontrou-se o local onde ele seria assassinado, a data e o assassino. Ou então a bomba em Hiroshima com a respectiva data.

Nestes casos sabemos nome, data e local. Para prever um evento através dos códigos teríamos que ter algumas dicas e fazer um varredura por todas as datas, pessoas e lugares possivelmente codificadas. Só se alguém conseguisse uma "chave" que decifrasse todas as informações ocultas contidas na Torah. Mas essa "chave" parece não existir.

Infelizmente, tem livros que colocam o Código da Bíblia numa óptica muito infeliz, como se com ele podesse prever o futuro. E, com isso, colocar em descridibilidade algo muito sério.

O livro "Código da Bíblia (I e II)" de Michael Drosnin tem esse potencial. Mas vale a pena ler, pois tem informações importantes.

Pra quem quizer um livro mais responsável e expõe de maneira bem sensata é Jeffrey Satinover em " A verdade por trás do código da bíblia."



A verdade por trás do código da bíblia, de Jeffrey Satinover






O Código da Bíblia (I eII) de Michael Drosnin

















2 comentários:

ilma disse...

adorei o conteudo.

khezia disse...

é impressionante o que esses matemáticos descobriram na Torah e no Tanach...não descobriram no Talmude e em nenhum outro escrito judaico..
em letras saltadas..há um texto perfeitamente codificado..mas os cabalistas pensam tb que primeiro existiu um texto triangular e depois isso virou a escrita hebraica quadrada..e o texto original escondido....Escondido ou não...é possível achar coisas inexplicáveis..é que não estou de posse de algumas delas aqui hoje...o nome israel aparece de x e em x letras...até o holocausto..minha luta..alemanha fuher...fornos para meus filhos....estão em determinado lugar..arafat..Ytzack rabin...etc..Eu queria saber como foi feito o programa...queria ver o programa..porque sempre falamos que.....os homens podem ter...ditado leis civis.com ou sem elas....o fato é que os códigos estão lá..e uma inteligencia superior inspirou..quanto a tradição de letras negras em fundo branco...pode ser só tradição...para dizer que letra por letra.....nada foi modificado..se fosse o original triangular...se perderia...tb...eu não cheguei a uma conclusão sobre os códigos ..muitos preferem ignorar isso....mas é algo extraordinário....